quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Futebol de salto alto - Entrevista com Kelen Cristina


A nossa 3ª edição do quadro futebol de salto alto, traz uma entrevista com uma das jornalistas mais bonitas do futebol mineiro. Trata-se de nada menos do que Kelen Cristina, que escreve para o Jornal Estado de Minas. Confira a entrevista com uma das feras do jornalismo esportivo mineiro.
1. Como começou a sua historia no jornalismo? Esporte sempre esteve na minha veia e desde pequena frequentava o Mineirão.Enquanto minhas amigas ficavam brincando de boneca, eu não dispensava um jogo, ao lado do meu pai. Mas, na verdade, sonhava em ser jogadora de vôlei. Meus 1,66 não deixaram, então, quando chegou o vestibular, decidi cursar jornalismo, já certa de que queria trabalhar com esporte. No penúltimo semestre da faculdade, em 1997, passei numa seletiva para um curso de uma semana na redação do Estado de Minas, ministrado por uma empresa espanhola, que estava prestando consultoria ao jornal naquela época. No fim do curso, deixávamos uma ficha, com as editorias de nossa preferência, e a minha lista era encabeçada pela editoria de esportes. Em janeiro de 1998, fui chamada para trabalho temporário, de três meses, para cobrir a Copa Centenário de Futebol Amador, promovida pela prefeitura de BH e que contava com o apoio do EM. Era campo de terra batida e na periferia. Uma grande escola e encontros com pessoas especiais, abnegadas, exemplos de vida mesmo. O pessoal do EM gostou do meu trabalho e dali pra frente, não desgarrei mais...


2. Em que pessoa importante para você cujo se inspira? Minha grande inspiração no jornalismo esportivo foi Armando Nogueira. Gênio, de palavras singelas, até na crítica. Não gosto do tipo que escancara, sabe, que tem de jogar pra galera para criticar, usar palavras duras, fazer acusações, gritar, espernear, etc. Prefiro a sutileza e assim era Armando Nogueira.


3. Já sofreu algum preconceito por estar em meio ao futebol? Nunca senti preconceito abertamente e se sofri já esqueci. Minhas discussões sempre foram em torno do futebol, nunca ninguém usou como argumento o fato de eu ser mulher. Mas sei que, veladamente, existe. Sei, inclusive, de colegas que não aceitam, não apenas em relação a mim, mas mulher, de maneira geral, falando de futebol. O que dirá escrever coluna na página mais nobre do jornal mais importante de Minas... Sem falar os treinadores/jogadores, muitos deles falam abertamente. Não me incomoda. Sei que tenho de ser duas, três vezes melhor do que um homem para provar minha capacidade. E me esforço para ser. Às vezes dá certo, às vezes não.

4. Percebe-se um aumento significativo na participação das mulheres no esporte. Essa tendência deve se manter? Acho que sim, mas acho que é um espaço que precisa ser conquistado com trabalho. Sou radicalmente contra quem contrata uma mulher para ler e-mails em programa de esporte, só para explorar a beleza. A mulher tem de ser tratada de igual para igual, ter sua opinião respeitada, e fazer jus a esse respeito. Ser reconhecida como jornalista, não como uma mulher jornalista, entende? Quero que o meu trabalho seja reconhecido. O trabalho, não eu. E as mulheres que estão aparecendo estão fazendo por merecer. As que estão lá por outros motivos acabam perdendo lugar, ou passando. Aliás, como qualquer profissional, homem e mulher. Para ser notado, precisa ser competente. São esses que se estabelecem.

ma5. Qual o seu conselho para as mulheres que desejam viver em meio ao futebol, s temem a intolerância da sociedade? Não tem essa de temer. Se a pessoa está determinada, se escolheu a profissão e tem interesse no assunto, ele tem de ir atrás. Como se tivesse escolhido ser dentista, piloto de avião, professora ou bailarina. Tem de estudar, procurar se aprofundar nos assuntos, para não falar besteira; tem de se aprimorar sempre, pois aos poucos, vai conquistar o respeito das pessoas. E precisa também saber se portar, porque ainda é um meio machista. Saber como se vestir, como se dirigir às pessoas, essas coisas. O foco tem de ser as perguntas, os comentários, não a repórter. Acima de tudo, para qualquer um, homem ou mulher, é primordial gostar do que faz. Abrir mão de final de semana, feriado, etc. E ter convicção do que está fazendo. Sempre haverá crítica negativa, sempre haverá alguém que não vai gostar, ou vai discordar do seu ponto de vista, além de fazer interpretações equivocadas de algo que você fala/escreve, mas fazer o quê? Futebol envolve paixão e é complicado lidar com o lado passional de todos: torcedores, dirigentes e jogadores. Então, é preciso saber ouvir as críticas, separar as apelativas e agressivas das que são embasadas e seguir em frente. Quando sou criticada por algum leitor, não levo nessa de que é por eu ser mulher. Ele não concorda com algo que escrevi e pronto. Pode ter ou não razão. Temos de saber lidar com tudo.

6. Para você, a que se deve a falta de espaço para as mulheres no futebol? É cultural mesmo. E o campo vai se abrir cada vez mais à medida em que surgirem profissionais competentes. Aliás, acho que, ultimamente, já está equiparado. Já não há discrepância tão grande entre a quantidade de homens e de mulheres nas redações, nos treinos e jogos. Hoje, talvez falte mais emprego do que profissionais...

Agradecemos a participação da jornalista Kelen Cristina, uma das figuras carimbadas da Comunicação em Minas Gerais.
Semana que vem será a vez de entrevistar-mos blogueiras. Não perca.
Deixe seu comentário.

23 comentários:

Ale disse...

Genteee esses mineiros tão mto chiques! Adorei a entrevista e poder conhecer mais sobre a comunicação aí em Minas!
As perguntas são mto bem formuladas e vale a pena conferir! Cada vez melhor!

bjss

Leonardo Resende disse...

Fala galera!

Parabens pela entrevista, está muito boa!

E a Kelen Cristina é uma grande jornalista, acompanho o trabalho dela e sou fã.

Continuem assim, trilhando esse caminho de sucesso.

Visite também o Rio Futebol, se puder!

Grande abraço,

Leonardo Resende
Rio Futebol
http://riofutebol.blogspot.com
adm.riofutebol@gmail.com

Marcela Semler disse...

Mais uma excelente entrevista =D

Cada vez mais é bonito de se ver a presença feminina no esporte... Mulherada mandando ver...

\o/

Parabéns ao blog por esta idéia brilhante...

Beijos da Colorada

Vicente Ribeiro disse...

Parabéns pela entrevista com a jornalista Kelen Cristina. Sou até suspeito para falar, pois a conheço bem e acompanho o trabalho dela há pelo menos 7 anos. Quem pensa que mulher não entende de futebol deveria ler essa entrevista. E com muita atenção....legal, show de bola!!

PedroSPFC disse...

Muito boa a entrevista!

Também abri um quadro, mas muito diferente do seu!Se chama campeonato dos Palpites.

Acesse o meu blog: www.newsofspfc.blogspot.com

Michel Farias disse...

Olha mineirada vou ser redundante mais não tem como não elogiar...vcs são do KCT.. queria saber como vcs fazem para entrevistar pessoas de níveis tão alto...


Abraço!!

http://ofuteboleoscariocas.blogspot.com/

Munigalo disse...

E ai,
A Kelen Cristina é uma grande jornalista esportiva, é só ver o trabalho que ela faz no Estado de Minas. Não é a toa que já foi convidada e participou de programas na televisão também como o Bola na Área e o Aqui Esportes....

Boa entrevista....
Abraço

Fernando Gonzaga disse...

parabéns pela entrevista...

é sempre bom acompanhar um pouco mais de perto o trabalho dos profissionais da imprensa esportiva...

abraço!!

Blog do Vascão disse...

Show de bola, é a mulherada provando que são até melhores que a maioria dos marmanjos em qualquer esporte.

Abraço
Jeferson

Matheus Cristian disse...

Caramba belissímo blog gostei.
Voltarei mais vezes
Visite o meu de esportes também (http://mattew.zip.net).
Abs

Carlos Henrique Pereira disse...

As mulheres, quando se dedicam realmente a alguma coisa, geralmente fazem melhor que os homens. Não seria diferente em relação ao jornalismo esportivo.

Só tenho uma ressalva na frase de apresentação: "Confira a entrevista com uma das feras do jornalismo esportivo mineiro". Eu trocaria fera por bela!

Abraço,
Visitem:
http://blogcraquesdebola.blogspot.com

Romário Silva disse...

Muito inteligente a Kelen. Legal a entrevista. Eu, que vou prestar vestibular no início do ano para Jornalismo, é uma boa acompanhar informações importantes de pessoas que já vivem no Jornalismo. Forte Abraço.

Mel disse...

Mais uma vez, parabéns! Ótima entrevista.
É bom ver a presença feminina cada vez maior no futebol!

Abraço.

Romário Silva disse...

Tem post novo no blog. Abraço.

Blu disse...

Muito bom mesmo ver a força das mulheres.

Tá de parabéns o Blog pelo quadro!

Tudo Sobre o Santos Futebol Clube. disse...

Mais uma vez, parabéns pelo novo quadro!
E já que estamos falando de fut de salto alto, as Sereias do Santos esão jogando muito em!!

Abss

Faloww

Esron disse...

ótima entrevista.

As mulheres tão com tudo no futebol!!

Abraço

Wilson Hebert disse...

É isso aí, Peixe!

A entrevista ficou mesmo muito boa.

Parabens e continue firme com o quadro!

Abração!

Jessica Corais disse...

Sensacional quadro e entrevista!!!

É o universo feminino cada vez mais inserido no esporte e principalmente no futebol.

Beijos a todos,
Jessica Corais

Débora Bravo disse...

Sem comentários. Entrevista fantástica! Só aumentou ainda mais minha admiração por essa jornalista sensacional. Não a conhecia até vim morar em Minas e começar a acompanhar a editoria de esporte do Estado de Minas e descobri a coluna dela ("Tiro Livre") no jornal. Fiquei viciada e encantada com o conhecimento dela sobre esporte, em especial sobre o futebol. Virei fã e essa entrevista só me fez ver o quão boa jornalista é a Kelen Cristina. Super profissional e tem opiniões com as quais eu concordo cem por cento! A mulher jornalista tem que ser boa profissional e ponto, o sexo independe da qualidade do jornalista. Tem muitas mulheres e também muitos homens que não sabem e não gostam de esporte!

E ao ler essa entrevista super me indentifiquei, pois a vontade de ser jogadora de vôlei também me ocorreu antes de pensar no jornalismo esportivo! Sem contar que percebi que ela não é a primeira jornalista esportiva que queria ser jogadora de vôlei! A Mylena Ciribelli também teve esse sonho, mas a altura também a atrapalho. rs Curioso não?! ;P

Parabéns novamente pela iniciativa. A entrevista só me animou mais a seguir essa carreira!

Beijos.
Obs.: Espero que ela acompanhe o blog para ler os comentários! ;D Pois já tentei de diversas maneiras entrar em contato com ela para elogiá-la, mas não consegui.

Anônimo disse...

Kelen, além de linda é também exemplo de mulher inteligente... Viva kelinha!

CANTO DE BOCAIÚVA disse...

Gostei da entrevista. Kelen é realmente sensacional além de muito bonita é muito inteligente ou é muito bonita além de muito inteligente. Vocês escolham a ordem dos fatores. Só faltou dizer uma coisa: a origem dela. Ela é quase bocaiuvense porque a família dela é de Bocaiuva! Bocaiuva é a cidade morena do sertão mineiro!

Anônimo disse...

Mas, como me sinto invadida por uma felicidade ímpar ao ler essa entrevista e acompanhar os comentários tão espontâneos e significativos para uma mãe que tem em seus filhos o maior tesouro, a kelen, não é só bonita e inteligente, dedicada, meiga, comprometida com valores cristãos e humanísticos, uma filha ... (Não encontrei palavras.Ela é ADMIRÁVEL.
Só tenho que dizer muito obrigada a todos que fizeram presentes neste blog.

Síria.

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More